Blog - WebStorm Internet

Novidades

E-Commerce: Conteúdo é a bola da vez

18 de novembro de 2013
Luis-jan-1
por

Quando se desenvolve um projeto de e-commerce, o seu sucesso vai depender basicamente de se conseguir aumentar permanentemente o tráfego na loja.

Existe uma relação direta entre tráfego e conversão em vendas: quanto maior é o tráfego, maior é a conversão em vendas.

Então, a meta a perseguir é trazer visitantes para a loja.

E o conteúdo (texto, imagem, áudio e vídeo) tem papel fundamental para se conseguir esse objetivo.

Isso porque as ferramentas de busca estão cada vez mais inteligentes no sentido de apresentar de forma mais objetiva e rápida a informação procurada.

Portanto, buscar a melhoria de posicionamento da sua loja nas ferramentas de busca deve ser uma tarefa constante no dia-a-dia dos gestores de e-commerce.

Existem 02 maneiras de se melhorar o posicionamento da loja junto às ferramentas de busca:

  • Busca paga – através de compra de links patrocinados e (ou) palavras-chave;
  • Busca não paga (orgânica) – através do tratamento do conteúdo da sua loja;

Conteúdos relevantes e atuais desempenham um papel fundamental na busca orgânica. E a escolha da plataforma adequada é fundamental, para que se possa desenvolver um trabalho de indexação de conteúdo eficaz, para melhorar o posicionamento da sua loja nas ferramentas de busca. Para um trabalho otimizado de SEO (Search Engine Optimization), é necessário que a plataforma possua algumas funcionalidades específicas, que nem todas possuem.

O trabalho de conteúdo se inicia na fase de desenvolvimento da loja, onde é produzido e refinado para potencializar o resultado do trabalho de SEO.

Engana-se quem acredita que as descrições de produtos oferecidas pelos fabricantes nos catálogos de produtos resolvem essa questão.

O tratamento de conteúdo, mais do que mostrar apenas características básicas do produto, preocupa-se com o público ao qual se dirige, além de apresentar uma linguagem mais adequada a ele, direcionando o foco aos diferentes públicos-alvo que normalmente uma loja possui.

Público-alvo definido, a produção do conteúdo relevante para os buscadores vai desde a descrição dos produtos de forma mais objetiva e completa possível, utilização nos textos das palavras-chave escolhidas para o trabalho de SEO, até a apresentação de dicas e conteúdos relacionados com esses produtos. E aqui valem textos, imagens, vídeos, etc.

Depois dessa fase do desenvolvimento e da publicação da loja, inicia-se a fase de manutenção de conteúdo, já que conteúdos novos assumem importância vital para os buscadores.

É sabido que saímos da era do marketing de invasão e estamos cada vez mais acostumados com o marketing de permissão onde nós escolhemos o que, quando, como e onde queremos consumir.

E as mídias sociais assumem um papel importante no processo de aumento de visitação, pois está claro que a indicação de conhecidos e as experiências positivas influenciam de forma direta e decisiva as compras na internet.

Através do compartilhamento de conteúdo relevante, aumenta-se a visibilidade da marca, a visitação e, por consequência, a conversão em vendas.

Sobre a importância das mídias sociais no e-commerce, trataremos num próximo post.

Querendo saber mais sobre tratamento de conteúdo da sua loja, de forma a otimizar sua busca orgânica e melhorar sua conversão em vendas, fale conosco.

gonzaga@tempestade.com.br – Tempestade Comunicação.

A Tempestade Comunicação é o núcleo de conteúdo da WebStorm Internet.

Black Friday, é realmente possível comprar de forma segura?

14 de novembro de 2013
Foto Bruno
por

Bruno Porto

Pelo quarto ano consecutivo, o comércio brasileiro realiza a versão nacional da Black Friday, um famoso evento que vem se popularizando no país e este ano acontece no dia 29 de novembro. A ação, que para os consumidores significa um festival de preços baixos e promoções imperdíveis em grandes redes de varejistas, está se consagrando como um dos dias de compras mais movimentados do ano. A expectativa deste ano é que os descontos ultrapassem os parâmetros normais de varejo. Os eletroeletrônicos e vestuários são os principais itens de crescimento no varejo digital e provavelmente vão liderar as vendas na Black Friday.

 

Este ano os idealizadores da ação no Brasil criaram um filtro para comparar a média histórica dos preços dos produtos para que eles tenham descontos reais, já que é um período no qual aumentam os golpes virtuais, fraudes e propagandas enganosas. Por isso, é preciso ficar alerta a alguns fatores que por vezes passam despercebidos.

 

Entre as preocupações que os consumidores devem ter nesta data, o consumidor deve ficar atento à grande diferença de preço entre as lojas. O usuário deve pesquisar as melhores ofertas e também as melhores condições, como frete grátis, entrega rápida e brindes, para atender suas necessidades. Outra dica importante é a atenção aos produtos fora de linha. Já que muitas lojas oferecem produtos fora de linha com preços promocionais para queimar estoque. Ao decidir pela compra, o consumidor deve também buscar informações sobre a reputação das empresas na internet, analisando os comentários nas mídias sociais e sites, por exemplo. É preciso também que o cliente leia documentos como a política de troca e de devolução de produtos, assim como entenda todas as opções de formas de pagamento.

Com o objetivo de esvaziar os estoques e iniciar as vendas de Natal, a Black Friday reúne grandes redes de varejo que prometem expressivos descontos em todos os produtos e serviços. No entanto, o prazo de entrega dos produtos é algo que deve ter uma atenção redobrada. Caso este prazo não seja cumprido, o consumidor pode cancelar seu pedido e solicitar à administradora do cartão o cancelamento da compra e o estorno do valor pago. Em caso de defeito no produto, o usuário deve entrar em contato com o Departamento Administrativo da Loja Virtual para solicitar a troca e devolução da mercadoria. Porém, a política de troca e devolução dos produtos deve constar no site.

 

Cuidados do consumidor para comprar na Black Friday

- Pesquise preços antes de fechar a compra, para identificar possíveis diferenças de preços ou falsas promoções;

- Compre assim que as ofertas entrarem no ar;

- Atenção aos produtos fora de linha;

- Pesquise a reputação da loja que tem o produto escolhido;

- Fique atento a política de troca e devolução de produtos;

- Preste atenção as opções de pagamento.

Uma ferramenta de Business Intelligence pode auxiliar até mesmo pequenas empresas do mercado virtual

1 de novembro de 2013
Jean Bail
por

Jean Bail

O mercado virtual é composto por empresas de faturamento milionário, empresas de pequeno porte e também por empresas recém-chegadas no e-commerce.

É visível que a quantidade de informações sobre clientes, produtos e nichos de mercado é muito maior em grandes empresas do mercado online, pois é diretamente proporcional ao número de pedidos realizados na loja virtual.

Esta relação de proporção muitas vezes põe em discussão a necessidade de um software de B.I. em empresas menores, com pouca informação disponível, colocando esta importantíssima ferramenta em uma baixa escala de prioridade pelos gestores.

Contudo, é importante destacarmos que ferramentas de B.I. conseguem cruzar informações de inúmeras fontes, aumentando assim a gama de dados para auxilio na tomada de decisão. Ou seja, não importa o volume absoluto de transações que uma empresa de menor porte possui, já que com uma pequena amostragem, é possível extrair milhares de dados valiosos por meio de cruzamentos específicos.

Podemos tomar como exemplo uma empresa com um grande número de lojas físicas e mais de 20 anos varejo, a qual está há menos de um ano no mercado virtual. Neste caso, os dados da loja virtual podem parecer irrelevantes na tomada de decisão, mas se mesclados com o histórico de vendas de 20 anos de varejo, podem ser extremamente úteis no planejamento de campanhas de marketing direcionadas ao e-commerce, buscando trazer clientes tradicionais das lojas físicas também para loja virtual. O cruzamento de informações pode estender-se ainda mais, mesclando bases de e-mail marketing, dados do departamento de compras, RH, logística e tendências do mercado.

Um software de B.I. não trabalha sozinho, mas com um bom planejamento e o envolvimento de todos os setores da empresa, poderá se tornar uma ferramenta essencial para a tomada de decisão, independente do tamanho ou faturamento da empresa em questão.

Caso você queira saber como uma ferramenta de B.I. pode alavancar o seu negócio, entre em contato conosco.

Black Friday, prepare-se!

25 de outubro de 2013
Foto Bruno
por

Bruno Porto

O Black Friday Brasil é uma das datas que vem ganhando a confiança dos consumidores, gerando um grande movimento no mercado de e-commerce no país. Em sua quarta edição, o evento que acontece no dia 29 de novembro é uma ótima oportunidade para que os internautas façam compras a preços baixos nas principais lojas virtuais do país. Já para os lojistas, a data representa também a antecipação das vendas natalinas. Diante da expectativa dos resultados, é necessário que as lojas se organizem e planejem sua atuação para a data com antecedência. Os lojistas devem estar alinhados com seus fornecedores para promover descontos reais e com capacidade de entrega, montando um estoque adequado, para o grande volume de vendas.

 

A expectativa para este ano, é que as vendas sejam superiores ao previsto do indicador anual do e-commerce, que fala em um aumento de 24% nas vendas. O evento, tradicionalmente atribuído aos norte-americanos, chega ao Brasil com a promessa de potencializar as negociações pela internet e é uma boa oportunidade para que os lojistas conquistem novos consumidores. Para isso, é preciso que os lojistas invistam em planejamento prévio para atingir o sucesso esperado, é importante lembrar: o planejamento deve ser realizado por todos os envolvidos no processo, como os fornecedores, agências e empresas de hosting. Sem isso o processo não será de qualidade aos olhos do cliente.

 

Entre as estratégias para chegar aos bons resultados de vendas no Black Friday, todos os pontos do negócio devem estar voltados para a fidelização do cliente.  Além de um preço competitivo, o lojista deve buscar alternativas de entregas rápidas e promover o frete grátis, por exemplo. Se nesse momento ele provar ao consumidor que tem estrutura e organização de atendimento, as chances que esse cliente retorne ao seu site são reais.

Página 11 de 14« Primeira...910111213...Última »