Blog - WebStorm Internet

Novidades

O que mudou na Otimização de Sites SEO

16 de outubro de 2013
northon
por

Northon Napoleão

Otimização de sites para mecanismos de busca é uma atividade altamente dinâmica e que exige resposta rápida por parte dos analistas quando ocorrem alterações algorítmicas mais profundas, como é o caso da atualização recente no algoritmo do Google, chamada Hummingbird (muita coisa mudou na otimização de sites após essa alteração). A atualização foi informada oficialmente apenas no final de setembro, porém, analistas independentes acreditam que já fazia cerca de um mês que a mesma estava sendo aplicada, devido as alterações mais drásticas de posicionamento que um grande número de websites está sofrendo, bem como as respostas diferenciadas que vem sendo exibidas na SERP (página de resultados do buscador).

Quando a otimização de um site é feita visando a melhoria da experiência do usuário, não são identificados grandes problemas com mudanças de posicionamento quando ocorrem as atualizações algorítmicas, tendo em vista, que o objetivo principal do buscador é entregar um resultado positivo e relevante para o usuário, deixando a experiência de busca mais rica, economizando tempo e melhorando a empatia do mesmo com o motor de buscas, mas essa não é a realidade na maioria dos projetos de SEO, a entrega de performance rápida é uma necessidade recorrente de quem busca uma consultoria de otimização de sites para mecanismos de busca, e muitas vezes a experiência do usuário é esquecida e são utilizados artifícios na tentativa de manipular o mecanismo de busca, esse tipo de otimização também é válido (o analista que não se presta a melhorar itens como posicionamentos de termos principais no corpo do texto, densidade de keywords, semântica de elementos, mapeamento de relevância de palavras utilizadas para o nicho específico, fica para trás, pois os concorrentes sempre o fazem), mas a sua eficácia não resiste muitas vezes ao teste do tempo.

O Hummingbird mudou a forma como as queries(pesquisas) são respondidas, o Google está procurando deixar o buscador cada vez mais “esperto“ para responder perguntas, segundo o contexto em que forem feitas, localização, histórico de pesquisa do usuário, etc. Uma boa parte dos sites da internet teve mudanças no posicionamento, pode-se observar que os sites que praticam construção de links manual, mas não possuem um bom conteúdo (conteúdo bom é conteúdo endossado pelo usuário, conteúdo que ganha “likes“, “+1“, comentários, “twittadas“, links espontâneos) foram os mais afetados, sites que não possuem um perfil de links tão consistente, mas tem relevância de conteúdo e sinal social alto, acabaram levando vantagem, entre os top players não houve mudanças muito significativas, tendo em vista, que geralmente realizam um trabalho de otimização voltado a oferecer uma boa experiência ao usuário, com conteúdo relevante, único e produzido de maneira profissional, ou seja, quem já faz as coisas certas, sente menos o impacto das atualizações.

Outras mudanças grandes estão ocorrendo no SEO, a otimização de sites para mecanismos de busca nunca mais será a mesma, até mesmo Rand Fishkin, um dos maiores expoentes do SEO falou recentemente que pela primeira vez o SEO como nós conhecemos pode estar com os dias contados. Os termos que originam o tráfego orgânico dos sites, um dos principais indicadores do caminho para o trabalho de otimização, estão desaparecendo, primeiro do Google Analytics, em seguida do Google Webmasters Tools, isso é péssimo para as análises, porém, o Google tem afirmado que essa alteração é uma necessidade de proteção de privacidade do usuário e que também vai servir para melhoria da experiência dos mesmos.

Como fazer então hoje a otimização de sites? O caminho a trilhar é aquele que tem sido recomendado de longa data, mas muitas vezes não é seguido: a entrega de conteúdo relevante para as intenções de busca do usuário. Não entregar nada menos que um conteúdo excelente, que venha de encontro aos anseios esperados no momento da pesquisa inicial, essa recomendação é válida tanto para sites institucionais, como e-commerce, oferecer uma experiência de conteúdo rica ao usuário, é o mínimo que se espera de quem deseja a empatia e o engajamento do mesmo.

Otimização de Sites

SEO search engine optimization

O SEO não está morto, mas está mudando, e quem não se atentar nessa nova fase, vai ficar para trás, o usuário deve ser cada vez mais o centro da estratégia de SEO, sem as palavras chave fornecidas pelo Google, resta utilizar outras ferramentas analíticas para obter as intenções de busca que cruzam com o conteúdo que oferecemos em nossos sites, o estudo de concorrentes bem posicionados após o update, também é uma trilha interessante a se seguir, porém, o estudo de concorrência está mudando, não se trata mais de descobrir aonde o concorrente ganhou links, trata-se de descobrir como o concorrente está entregando a melhor experiência para o usuário, quais respostas estão sendo dadas aos anseios de pesquisa, o porque do conteúdo receber sinal social (+1, like, twit, etc).

A otimização de sites se torna uma atividade cada vez mais complexa, envolvendo times multidisciplinares, é importante ficar atento a consultores que prometem primeira página afirmando que vão trabalhar em cima de meta tags, h1, etc, a super otimização onpage (tentativa de enganar o robô de busca) também é penalizada, fuja de promessas de primeira página fácil, isso não existe mais. Para uma consultoria eficiente, opte por times multidisciplinares que tenham profissionais que participem de estratégias convergentes, não existe mais espaço para o SEO sozinho, um exemplo de time assim, é o time da Midia Like, o departamento de mídia dentro da WebStorm, que conta com profissionais de SEO, AdWords, Mídias Sociais, Métricas e Design, trabalhando em cooperação para a entrega dos melhores resultados para os clientes.
Por Northon.

A WebStorm participa do Prêmio Pororoca, com a categoria de Melhor E-Commerce

9 de outubro de 2013
Foto Bruno
por

Bruno Porto

Referência no mercado digital como plataforma de e-commerce, a WebStorm se destacou nos últimos anos em projetos exclusivos, com funcionalidades inovadoras para seus clientes.
A atuação em desenvolvimento de e-commerce para os mais variados nichos permitiram que, mais do que sites para comércio eletrônico, fossem desenvolvidos mecanismos inovadores, com foco nos melhores resultados para seus clientes. Dentre as principais inovações, se destacam o Fast Checkout, que permite um fechamento de compras em tela única, diretamente no carrinho, muito mais ágil e prático, e o Quick View, componente que possibilita a visualização das informações mais relevantes dos produtos diretamente na vitrine, sem a necessidade de visitar a página exclusiva de cada um.
Inovações como estas evidenciam que, ano após ano, a expertise de uma plataforma profissional, aliada à pesquisas de mercado e desenvolvimento voltado à usabilidade, entregam os melhores resultados às centenas de clientes que utilizam a plataforma WebStorm para seus e-commerces.

Veja o nosso portfolio.

Planejamento de AdWords – Entenda a diferença entre um planejamento com foco em vendas ou acessos

25 de setembro de 2013
08-07-2011 16-30-58
por

Maurício Thá

Você acaba de lançar seu e-commerce. Métricas alinhadas, produtos cadastrados perfeitamente, gateway de pagamento homologado. Chegou a hora de investir no negócio para começar a vender.

Existe uma mítica no mundo do “Pague por Clique” onde se prega que seu site necessita de volume de acessos para converter em vendas. Verdade? Não necessariamente! Volume é sempre bom. Audiência é sempre bem vinda. Mas pagar volume por clique acaba ficando caro e a dispersão é quase certa. É preferível trazer 100 visitas para converter 10 vendas ou trazer 1000 visitas para converter 10 vendas? A palavra de ordem em investimento por clique é QUALIDADE. É necessário trazer tráfego qualificado quando se trata de e-commerce + AdWords. Estamos falando de palavras longtail. Buscas específicas, literais, com o termo exato do produto que se deseja anunciar.

É fundamental ter conhecimento que estes termos não tem um volume de pesquisa alto, porém, o retorno exato traz sempre qualidade à visita, com possibilidade de conversão consideravelmente maior. Por outro lado, palavras “head” são as que trazem mais acessos ao site, mas elas dispersam o investimento. São termos amplos, que muitas vezes dispersam a necessidade do cliente.

Para facilitar o entendimento desta modalidade, vamos conhecer um pouco melhor o vocabulário deste mercado de links patrocinados (AdWords). Existem correspondências de palavras para segmentar o seu “futuro cliente”. São elas: Ampla, Ampla modificada, Frase e Exata. Assim você consegue otimizar e qualificar suas melhores palavras pagando um CPC mais baixo e aumentando o relevância de palavra+anúncio. É sempre importante tirar relatório de consulta da pesquisa, assim você consegue negativar palavras ruins e adicionar palavras boas em suas campanhas. Com o passar do tempo, palavras amplas irão diminuindo e os termos exatos serão seu carro chefe. A qualidade da campanha será cada vez maior, com um custo por clique cada vez menor. Não parece mais lógico?

O link patrocinado nada mais é do que a resposta para a pesquisa do usuário no Google. Quando se trata de e-commerce, você precisa sempre levar o usuário para a página que ele está procurando, utilizando termos específicos – o longtail. Isto é, se ele procura um “celular galaxy S4”, você precisa linkar para página deste produto. Porém, você precisa ter esta palavra cadastrada na Busca Exata, pois se ele procura “celular galaxy y”, ele pode cair na página errada e a rejeição vai para o espaço quando se utiliza termo amplo.

Enfim, as possibilidades são enormes, e tratando-se de investimento financeiro para o seu negócio, procure sempre profissionais qualificados e certificados pelo Google. Investir é essencial para o seu negócio, porém, antes de tomar esta decisão, saiba que um profissional qualificado fará toda a diferença nos seus resultados. Qualquer dúvida sobre o assunto, converse com a WebStorm.

Facebook – Uma fanpage com aplicativos especiais e conteúdo desenvolvido por profissionais pode fazer a diferença para a sua empresa.

20 de setembro de 2013
o-matic
por

Rodrigo Sanches

De todas as mídias sociais, o Facebook é aquela de maior destaque atualmente. É ali que marcas enxergam (ou deveriam enxergar) a oportunidade de conquistar seu público, vender mais, interagir com seu cliente e fortalecer ainda mais sua marca. Afinal, somente no Brasil, temos mais de 72 milhões de usuários cadastrados (dos 94 milhões de usuários de internet). É uma ferramenta com potencial para sua empresa ou não é?
Com toda a possibilidade que se abre para marcas investirem no Facebook, é preciso que as empresas deem, de fato, a devida importância e passem a atuar de forma profissional neste canal. As marcas precisam ter consciência de que as mídias sociais dão uma grande visibilidade ao negócio e que com uma “simples” mensagem, é possível falar com milhares de pessoas. Quem sabe aí não surja uma oportunidade para alavancar sua empresa?

Como ter uma página com aspecto profissional no Facebook?
Nunca valorizou-se tanto o marketing de relacionamento e o de conteúdo. É por meio do marketing de relacionamento que conhecemos as pessoas com as quais marcas se comunicam. Há a necessidade de entender os perfis, gostos, aquilo que elas “consomem” na internet, para então saber como relacionar-se com elas.
No Facebook, esse relacionamento é muito valorizado. As marcas precisam engajar seus fãs, para que sejam vistas, lembradas e divulgadas. Para isso, é necessário investir em estratégias e ferramentas adequadas.
No marketing de conteúdo, mais do que nunca, a frase “o conteúdo é rei” nunca fez tanto sentido. As empresas devem produzir conteúdo relevante para ter a atenção dos clientes, sempre levando em consideração o objetivo que elas tenham dentro da rede social.
Falando ainda sobre conteúdo, com todas as mudanças promovidas no Facebook de uns tempos para cá, temos ouvido muito as palavras “relevância” e “engajamento”, não é? Isso deve-se pelo fato da rede social possuir um EdgeRank, onde é feito um filtro das publicações e mostrado no feed de notícias do usuário apenas as publicações que são relevantes à ele. O EdgeRank leva em consideração a afinidade entre a marca e o fã. O número de vezes que ele clicou, compartilhou, comentou e curtiu fará toda a diferença na forma como você será exibido nas timelines do seu público. Por isso, a qualidade da informação é TUDO.
Para que sua página fique mais interessante e desperte atenção do visitante, você pode usar alguns aplicativos e ferramentas. Na WebStorm, trabalhamos com alguns aplicativos padrões para os clientes, oferecendo descontos exclusivos por meio de cadastrou ou ações estratégicas, o “Compre Online”, que é a Social Store exclusiva loja do cliente dentro do Facebook, com todos os produtos cadastrados no site apresentados diretamente na rede social, entre outros aplicativos inovadores e que podem ser o diferencial para a sua empresa na rede. Tudo isso é pensado no relacionamento com o cliente, trazendo vantagens para quem acompanha as marcas na rede social.
Com um trabalho bem feito no Facebook, empregando qualidade, as empresas podem alcançar seus objetivos dentro e fora da rede social com mais facilidade, sejam eles: venda de produtos, relacionamento e atendimento ao cliente, melhoria de produtos e serviços, entre outros. Além disso, possibilita deixar sua marca sempre em evidência.
Empresas que usam o Facebook como canal de relacionamento e atendimento ao cliente, podem reduzir significativamente custos com SAC, possibilitando também uma diminuição no tempo de espera do atendimento, por exemplo.
Já vimos casos em que as empresas criam produtos novos ou resgatam os que fizeram sucesso no passado, por meio de “conversas” com clientes em mídias sociais. Isso é relacionamento. Isso é ouvir seu cliente!
Invista na sua empresa, invista no Facebook!

Página 12 de 13« Primeira...910111213