Blog - WebStorm Internet

Novidades

Comércio eletrônico espera faturar R$ 2,55 bilhões

30 de julho de 2019
Foto Bruno
por

Bruno Porto

comércio eletrônico deve movimentar R$ 2,55 no Dia dos Pais, de acordo com previsão da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). Segundo a entidade, a data, que é considerada uma das mais importantes para o varejo, deve ter um crescimento de 14%, quando comparado com o mesmo evento do ano passado.

A associação estima que cerca de 8,63 milhões de pedidos sejam realizados no período de 20 de julho a 10 de agosto, com um tíquete médio de R$ 296. As principais categorias de produtos a serem buscados na data são Informática, Celulares, Eletrônicos, Materiais esportivos e Moda e Acessórios.

Comércio é o setor que mais pretende investir em 2019

25 de junho de 2019
Foto Bruno
por

Bruno Porto

Diferentemente do 1º trimestre de 2019, quando a Indústria (71%) registrou maior otimismo em novos investimentos ao longo do ano, no 2º trimestre foi o Comércio (53%) que se mostrou mais otimista quando questionado se pretende investir no próprio negócio. Serviços (49%) e Indústria (44%) vieram na sequência, respectivamente. A constatação é da Pesquisa Perspectiva Empresarial feita pela Boa Vista, com cerca de mil empresários, em todo o país.

Ao comparar os tipos de investimentos, a pesquisa constatou que “Tecnologia” supera “Pessoal e Força de Trabalho” e “Novos Produtos e Serviços”, de um modo geral. Já quando comparados os investimentos por setor, “Tecnologia” parece ser prioridade para o Comércio que registrou um aumento de 7p.p. (pontos percentuais). Na Indústria, investir em “Tecnologia” se manteve similar entre os trimestres. E em Serviços, apesar do investimento ser maior em “Tecnologia” no 2º trimestre, o setor registrou queda se comparado ao 1º trimestre.

Vantagens Do E-Commerce Sobre O Varejo Tradicional

18 de fevereiro de 2019
Foto Bruno
por

Bruno Porto

Com o aumento da necessidade da indústria de e-Commerce, cada empresário está olhando para ter uma loja online onde eles podem vender a sua gama de produtos e serviços.

Optando por e-Commerce ele pode oferecer uma gama abrangente de benefícios para varejistas e comerciantes. Mais e mais estão decidindo criar um comércio eletrônico.

Ora perceba um pouco melhor de seguida quais as principais vantagens de ter um e-commerce sobre o comércio tradicional.

Quais as principais vantagens do e-commerce

Quando você ler a seguinte lista de vantagens do e-commerce para empresas e clientes, você terá a sensação de que o e-commerce é o Santo Graal do varejo.

1 – Superar Limitações Geográficas

Se houver uma filial física, o usuário estará limitado pela área geográfica que pode ser atendida. Com um site de comércio eletrônico, o mundo inteiro é o seu playground.

Além disso, o advento do m-commerce, ou seja, o e-commerce em dispositivos móveis, dissolveu todas as limitações geográficas remanescentes.

2 – Ganhar novos clientes com a visibilidade do motor de busca

O varejo físico é impulsionado pela marca e pelos relacionamentos. Além desses dois fatores, o varejo online também é impulsionado pelo tráfego dos mecanismos de busca.

Não é incomum para os clientes a seguir um link nos resultados do motor de busca e terra em um site de comércio eletrônico que eles nunca ouviram falar.

Esta fonte adicional de tráfego pode ser o ponto de viragem para algumas empresas de comércio eletrônico.

3 – Custos mais baixos

Um dos aspetos positivos mais tangíveis do comércio eletrônico é a redução dos custos. Uma parte destes custos reduzidos poderia ser repercutida nos clientes sob a forma de preços com desconto. Aqui estão algumas das formas de reduzir os custos com o comércio eletrônico:

  • Publicidade e marketing: O tráfego de motores de busca orgânicos, o tráfego pay-per-click e o tráfego nas redes sociais são alguns dos canais de publicidade que podem ser rentáveis.
  • Pessoal: A automação do checkout, faturamento, pagamentos, gestão de estoques e outros processos operacionais reduz o número de funcionários necessários para executar uma configuração de e-commerce.
  • Imóveis: Este é um sem cérebro. Um comerciante de e-commerce não precisa de uma localização física proeminente.

4 – Localize o produto mais rapidamente

Não se trata mais de empurrar um carrinho de compras para o corredor correto ou procurar o produto desejado.

Em um site de e-commerce, os clientes podem clicar através da navegação intuitiva ou usar uma caixa de pesquisa para restringir a pesquisa de produtos imediatamente.

Alguns sites lembram as preferências dos clientes e listas de compras para facilitar a repetição da compra.

5 – Elimine o tempo e o custo de viagem

Não é raro que os clientes percorram longas distâncias para chegar à sua loja física preferida. E-commerce permite-lhes visitar a mesma loja virtualmente, com apenas alguns cliques do mouse.

6 – Fornecer Comparação de preços

O comércio eletrônico facilita a comparação de preços. Há vários serviços online que permitem que os clientes naveguem múltiplos comerciantes de e-comércio e encontrem os melhores preços.

7 – Habilite Ofertas, Negociações, Cupons, e Compra de Grupo

Embora existam equivalentes físicos para ofertas, pechinchas, cupons e compra em grupo, compras online torna muito mais conveniente.

Por exemplo, se um cliente tem um cupom de desconto profundo para peru em uma loja física e papel higiênico em outra, ela pode achar inviável para aproveitar de ambos os descontos. Mas o cliente pode fazer isso online com alguns cliques no mouse.

8 – Fornecimento de Informações Abundantes

Existem limitações à quantidade de informações que podem ser exibidas em uma loja física. É difícil equipar os empregados para responder a clientes que necessitam de informações através de linhas de produtos.

Os websites de E-commerce podem fazer informação adicional facilmente disponível a clientes. A maioria desta informação é fornecida por fornecedores e não custa nada para criar ou manter.

9 – Criar comunicação direcionada

Usando as informações que um cliente fornece no formulário de registro, e colocando cookies no computador do cliente, um comerciante de comércio eletrônico pode acessar muitas informações sobre seus clientes.

Ele, por sua vez, pode ser usado para comunicar mensagens relevantes.

Um exemplo: Se você estiver procurando por um determinado produto na Amazon.com, serão exibidas automaticamente listas de outros produtos semelhantes. Além disso, a Amazon.com pode enviar-lhe e-mails sobre produtos relacionados.

10 – Permanecer aberto o tempo todo

Os horários das lojas são agora 24/7/365. Os sites de e-commerce podem funcionar o tempo todo. Do ponto de vista do comerciante, isso aumenta o número de pedidos recebidos. Do ponto de vista do cliente, uma loja “sempre aberta” é mais conveniente.

11 – Criar mercados para produtos de nicho

Compradores e vendedores de produtos de nicho podem achar difícil localizar um ao outro no mundo físico.

Online, é apenas uma questão de o cliente procurar o produto em um motor de busca. Um exemplo poderia ser a compra de peças obsoletas. Em vez de destruir equipamentos mais antigos por falta de peças sobressalentes, hoje podemos localizar peças online com grande facilidade.

FONTE
Natthalia Paccola

PESQUISA FGV EAESP DE COMÉRCIO ELETRÔNICO NO MERCADO BRASILEIRO

10 de janeiro de 2019
Foto Bruno
por

Bruno Porto

 

A Pesquisa FGV EAESP de Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro fornece importantes subsídios para entender o cenário atual e projetar o futuro, possibilitando confirmar tendências e previsões elaboradas na pesquisa anterior e a analisar a influência das mudanças no cenário nacional e internacional.

O Comércio Eletrônico é um dos aspectos relevantes no ambiente empresarial atual e tem recebido atenção especial das empresas nos últimos anos, primeiro por ser considerado como uma grande oportunidade estratégica, depois pelo questionamento de sua efetiva validade, e finalmente numa perspectiva realista de suas possibilidades e limitações.

Neste cenário, o conhecimento da realidade de sua efetiva utilização pelas empresas, bem como de sua evolução, permite analisar as suas reais contribuições bem como os aspectos relevantes para a garantia de seu aproveitamento.

As informações sobre gastos e investimento, nível de Comércio Eletrônico, processos efetivamente realizados neste ambiente, infraestrutura de aplicações tecnológicas, aspectos e contribuições oferecidas às empresas formam o panorama completo a ser considerado.

Estas informações servem como base para análises, a partir de instrumentos robustos, que permitem aprimorar o conhecimento deste ambiente empresarial e fornecer subsídios imprescindíveis para a elaboração de estratégias empresariais.

Este estudo é um dos realizados pelo Programa de Excelência em Negócios na Era Digital (NED) do Centro de Tecnologia de Informação Aplicada (FGV FGVcia), da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV EAESP). O NED agrega e coordena os vários esforços relativos a Negócios na Era Digital nos ambientes empresarial e acadêmico.

A Pesquisa FGV EAESP de Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro, coordenada pelo Prof. Alberto Luiz Albertin, é um destes esforços, estando totalmente inserida no contexto de sinergia com as demais iniciativas, presentes e futuras. Os dados se referem aos valores de Comércio Eletrônico praticados no mercado brasileiro.

A Pesquisa representa um marco por ser um grande resultado do esforço de pesquisa da equipe que a realiza, do apoio institucional que ela recebe e por representar a continuidade de um estudo contínuo que formou uma das bases mais robustas e consistentes sobre o Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro.

A Pesquisa conta com a participação da pesquisadora Rosa Maria de Moura Albertin, nos seus vários estágios, em especial na análise das informações e elaboração das conclusões e tendências.

FONTE FGV

https://eaesp.fgv.br/centros/centro-tecnologia-informacao-aplicada/projetos/pesquisa-fgv-eaesp-comercio-eletronico-mercado-brasileiro

Página 1 de 1412345...10...Última »